Superadobe ou hiperadobe: diferenças

Em 1984, Nader Khalili ganhou um concurso da NASA que elegia a melhor técnica construtiva para construir casas na Lua e em Marte. Foi assim que surgiu o superadobe, que quando chegou ao Brasil, ganhou alguns melhoramentos pelo engenheiro Fernando Pacheco!

Pois é, o tempero brasileiro reduziu a quantidade de plástico usada pela técnica original e ainda resolveu um outro problema. No superadobe, após realizada a obra, é preciso remover todo o plástico usado. Para isso, o mais prático é queimá-lo. O que não é lá muito ecológico. Já no hiperadobe, o saco de polipropileno é substituído pelos tradicionais sacos de frutas e legumes da feira: os sacos Raschel.

Eles também são feitos em plástico, mas em volume bem menor do que no polipropileno e ainda com a funcionalidade de garantir maior aderência ao reboco.

Ambas as técnicas são muito simples de fazer, usam poucos materiais, qualquer tipo de terra e um pouco de cimento. É perfeita para um país que tem problemas de moradia até hoje. E é incrível, né? Poder construir sua casa usando terra do próprio terreno, apenas ensacando ela direitinho… nem parece verdade! Mas dá pra fazer, até o teto!

Sobre a mão de obra, é possível construir de 2 a quantas pessoas você conseguir, seja em mutirão, seja contratando!

Curta, inscreva-se, deixe seu comentário ou dúvida e fique de olho nos próximos episódios de Minutos da Sustentabilidade.